140 programas de pós-graduação no Brasil recebem nota máxima da Capes

Na última terça-feira (10), a Capes divulgou os resultados da Avaliação Trienal dos cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) do Brasil. A avaliação atribui notas de 1 a 7 aos programas de cada universidade. Os programas que recebem nota 1 ou 2 são reprovados e deixam de ser reconhecidos pelo MEC. Recebendo nota 3, o programa é considerado “regular”. Com uma nota 4, o programa é reconhecido como “bom”. Um 5 classifica o programa como “muito bom”. Já os programas avaliados com notas 6 e 7 oferecem cursos de “excelência internacional”. 3.337 programas de pós-graduação de todo o Brasil e de todas as áreas do conhecimento foram avaliados. Em linhas gerais, o resultado foi o seguinte:

1.054 obtiveram nota 3

1.219 obtiveram nota 4

598 obtiveram nota 5

229 obtiveram nota 6

140 obtiveram nota 7

A Capes reprovou 60 programas de pós-graduação no país, que tiraram as notas 1 e 2, mas seus nomes ainda não foram divulgados. Os coordenadores dos cursos terão um mês para recorrerem da nota. O processo levou em consideração informações prestadas pelos cursos durante os anos de 2010, 2011 e 2012. Na primeira etapa as atividades de avaliação contaram com a participação, durante 4 semanas, de 1.200 consultores vindos de todas as regiões do país, distribuídos nas comissões das 48 áreas de avaliação.

Veja a lista completa dos programas com avaliação acima de 3

Do documento disponível no link acima, reproduzo aqui a parte que diz respeito à área que me interessa: filosofia. Destaque para os programas de pós-graduação em filosofia da USP e UFMG, que receberam nota máxima (7). A “pós” em filosofia da minha querida UFPB recebeu nota 3, mostrando que ainda tem muito o que melhorar.

ÁREAINSTITUIÇÃOCURSONOTA
FILOSOFIAFAJE M3
ÉTICA E EPISTEMOLOGIAFUFPI M3
FILOSOFIAFUFSE M3
FILOSOFIAPUC/PR MD4
FILOSOFIAPUC/RS MD6
FILOSOFIAPUC/SP MD5
FILOSOFIAPUC-RIO MD5
FILOSOFIAUCS M3
FILOSOFIAUECE M3
FILOSOFIAUEL M3
FILOSOFIAUEM M3
FILOSOFIAUERJ MD5
FILOSOFIAUFBA MD5
FILOSOFIAUFC MD4
FILOSOFIAUFES M3
FILOSOFIAUFF M3
FILOSOFIAUFG MD4
FILOSOFIAUFMG MD7
ESTÉTICA E FIL. DA ARTEUFOP M4
FILOSOFIAUFPA M3
FILOSOFIAUFPE/UFPB/UFRN D3
FILOSOFIAUFPB M3
FILOSOFIAUFPEL M4
FILOSOFIAUFPR MD5
FILOSOFIAUFRGS MD6
FILOSOFIAUFRJ MD4
LÓGICA E METAFÍSICAUFRJ MD4
FILOSOFIAUFRN M4
FILOSOFIAUFSC MD6
FILOSOFIAUFSCAR MD5
FILOSOFIAUFSM MD4
FILOSOFIAUFU M3
FILOSOFIAUNB M4
FILOSOFIAUNESP/MAR M4
FILOSOFIAUNICAMP MD6
FILOSOFIAUNIFESP MD4
FILOSOFIAUNIOESTE M4
FILOSOFIAUNISINOS MD5
FILOSOFIAUSP MD7

Com informações de: UOL Educação.

Cresce número de artigos científicos “despublicados” por fraude ou erro

Nunca tantos artigos científicos foram publicados e nunca foi tão fácil ter acesso a eles de graça. São notícias aparentemente ótimas, mas dois levantamentos recentes indicam que o efeito colateral desses avanços é uma explosão no número de estudos fraudados, plagiados ou simplesmente muito ruins. Uma das maneiras de medir isso é a análise das “retratações”, nome dado às pesquisas “despublicadas” por problemas éticos ou erros. Em artigo na revista científica PLoS ONE, pesquisadores nos EUA apontam que, de 2003 a 2012, o número de artigos retratados (1.333 numa das principais bases de dados do setor, a PubMed) foi quase o dobro do que se viu entre 1973 e 2002 (só 714). Dos anos 1970 para cá, a produção científica cadastrada na PubMed praticamente quadruplicou, mas os artigos “retratados” cresceram em ritmo ainda mais forte, chegando perto de ficar 6 vezes mais comuns. Veja o infográfico produzido pela Folha:

13302682

Leia a matéria completa aqui.

Ideologia política interfere pouco na decisão de voto dos brasileiros, revela DataFolha

urnaNo Brasil, há uma quantidade bem maior de eleitores identificados com valores de direita do que de esquerda. O primeiro grupo reúne 49% da população, enquanto os esquerdistas são 30%. Isso, porém, produz pouco impacto nos índices de intenção de voto para presidente em 2014. Conforme dados do instituto DataFolha, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT e favorita na disputa, tem praticamente o mesmo padrão de votação entre eleitores identificados com valores de direita, centro-direita, centro e centro-esquerda. No cenário mais provável da disputa, Dilma tem 42% das intenções totais de voto, contra 21% do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e 15% do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Da direita à centro-esquerda, as variações das intenções de voto em Dilma ocorrem sempre dentro da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos para mais ou para menos (confira no quadro abaixo). Juntos, os eleitores identificados como de direita, centro-direita, centro e centro-esquerda representam 96% do eleitorado, conforme a escala de comportamento político elaborado pelo DataFolha.

O único grupo no qual a votação de Dilma destoa é o dos brasileiros associados às ideias de esquerda. Nesse universo, ela atinge 56%, 14 pontos percentuais a mais que sua média geral. No entanto, o impacto disso nas intenções totais de voto em Dilma é pequeno, pois os eleitores de esquerda foram o menor segmento identificado na escala ideológica do DataFolha, só 4% do total. O maior grupo é formado por eleitores de centro-direita, que representam 38% de todo o eleitorado. Os de centro-esquerda somam 26%. A turma de centro reúne 22%. Os de direita são 11%. Para chegar a essas conclusões, o instituto fez 2.517 entrevistas em 154 municípios. Esta é a primeira vez que o DataFolha investiga a inclinação ideológica dos eleitores de todo o Brasil. As primeiras pesquisas do gênero diziam respeito apenas aos eleitores de São Paulo.

13286406

É a primeira vez também que os pesquisadores classificaram os entrevistados numa escala da esquerda à direita. Antes, as denominações eram diferentes. A escala ia de extremo liberal (o equivalente a esquerda) a extremo conservador (direita). A mudança ocorreu para evitar confusão com o termo liberal. Antes, eleitores identificados com valores mais à esquerda em questões políticas e econômicas, como apoio à maior intervenção do Estado, acabavam sendo encaixados na segmento dos liberais, o que podia gerar estranheza. Liberais, na doutrina econômica, defendem o oposto – menor intervenção estatal – e em geral se associam a correntes de centro-direita. Para identificar e fazer os agrupamentos ideológicos dos eleitores, o DataFolha faz um conjunto de perguntas envolvendo valores sociais, políticos e culturais, como a influência da religião na formação do caráter das pessoas e o entendimento sobre as causas da criminalidade. As questões com opiniões mais divididas foram a que tratava da hipótese de pena de morte e a que avaliava a importância dos sindicatos.

Metade dos entrevistados respondeu que não cabe à Justiça matar alguém, mesmo que a pessoa tenha cometido um crime grave, posição mais associada a valores de esquerda. Outros 46% disseram que a pena de morte é a melhor punição para crimes graves, ideia mais ligada à direita. Sobre os sindicatos, 48% responderam que eles servem mais para fazer política do que para defender os trabalhadores (direita). Já para 47%, eles são importantes para defender os interesses dos trabalhadores (esquerda). Apesar de a pesquisa mostrar que a direita é maior que a esquerda no Brasil, pelo menos na cabeça dos eleitores, é raro encontrar um político que se declare abertamente de direita no país. Entre os principais candidatos à Presidência, não consta nenhum que tenha se declarado direitista em alguma ocasião.

Teste: você é de esquerda ou de direita?

Fonte: Folha.

Por que os livros escritos no século 20 estão sumindo das prateleiras?

Dá uma olhada nesse gráfico. Ele mostra as novas edições de livros disponíveis no site da Amazon, a maior empresa de comércio eletrônico do mundo, distribuídos por década.

puff1

Agora se pergunte: O que é esse buracão entre 1910 e 2000?

Direitos autorais.

Os direitos autorais surgiram em 1923. Todas as obras anteriores a esta data são de domínio público e portanto são frequentemente republicadas. De 1923 para frente, as editoras precisam pagar pelos direitos autorais e acabam optando por investir em títulos mais recentes, porque são os que vendem mais. O resultado é um desaparecimento da maioria dos livros do século passado das prateleiras das livrarias, sejam elas online ou offline. Isaac Asimov, Ray Bradbury, Kurt Vonnegut, Jack Kerouac e tantos outros, cada vez menos disponíveis. E apesar do gráfico e da fonte dessa pesquisa serem americanos, acredito que o fenômeno se repita em outros países, inclusive por aqui (Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Cecília Meireles, etc). Isso tudo sem mencionar a música, que sofre do mesmo mal. O objetivo dos Direitos Autorais, segundo os advogados que frequentemente os defendem, é “assegurar aos detentores um lucro pela propriedade intelectual, além de viabilizar a disponibilidade e a adequada distribuição da obra”. Não é o que o gráfico mostra. No lugar de barrinhas amarelas bem altas entre 1920 e 1990, nos resta 50 tons de cinza.

Fonte da pesquisa: Paul J. Heald, (University of Illinois). Via: Update or Die.

 

USP lança cursos online e gratuitos

brasao-uspA Universidade de São Paulo (USP), em parceria com o portal Veduca, lançou, nesta quarta-feira (12), os primeiros cursos de nível superior abertos, gratuitos e para grandes públicos (Mooc, na sigla em inglês) do Brasil. As aulas de Física Mecânica e Probabilidade Estatística serão ministradas por docentes da universidade e veiculadas pela plataforma virtual. Os Moocs ganharam fama desde que instituições como Harvard, Stanford e MIT começaram a oferecer a modalidade em portais com centenas de milhares de acesso por mês como EDX e Coursera. Os brasileiros estão entre os principais estrangeiros frequentadores destas plataformas. A Unicamp já lançou este ano um portal com conteúdo didático e aulas avulsas em vídeos, imagens ou animações; mas os Moocs são cursos completos com atenção dos professores para os alunos que acompanham o programa, que dará certificado de conclusão após prova presencial na USP.

Recursos Educacionais Abertos podem globalizar a educação

Fonte: Último Segundo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: