Graduação: Qual é a diferença entre bacharelado, licenciatura e tecnológico?

Veja também: Diferença entre especialização, mestrado e doutorado

Ao concluir o ensino médio, além de se preocupar com que curso fazer, o estudante precisa ter em mente o tipo do curso. Há quatro opções de graduação: bacharelado, licenciatura, curso tecnológico e curso sequencial. A principal diferença, além do conteúdo, é o tempo que o aluno passa estudando: enquanto um bacharelado leva, em média, quatro anos para ser concluído, um curso tecnológico pode levar apenas dois.

O bacharelado, segundo o MEC, é o curso superior que “confere ao diplomado competências em determinado campo do saber para o exercício de atividade acadêmica ou profissional”. A licenciatura, por sua vez, prepara o estudante para dar aula como professor na educação básica. Os dois costumam dividir boa parte do currículo, mas quem prefere a licenciatura pode ter matérias específicas, mais focadas em aspectos pedagógicos. Para dar aula no ensino fundamental e médio, o estudante precisa ter cursado uma área do conhecimento como matemática, física, química, biologia, geografia, história, letras ou filosofia. Um aluno formado em engenharia, por exemplo, não pode dar aula de química. O tempo de curso, seja bacharelado ou licenciatura, depende de cada instituição de ensino superior, mas, em média, um bacharelado leva quatro anos – período que pode ser ligeiramente maior no segundo caso.

Os cursos que oferecem graduação em apenas dois anos são os chamados cursos “tecnológicos”. Além do tempo reduzido, eles têm um objeto de estudo bastante específico. Por exemplo: não há um curso tecnológico de jornalismo, mas é possível encontrar um de fotografia. Como a carga de conteúdo é menor e mais centralizada, os estudos são mais focados. De acordo com o MEC, os cursos tecnológicos também conferem diploma aos concluintes. Como todo curso de graduação, é aberto a quem terminou o ensino médio (ou nível equivalente) e passou por algum processo seletivo. Existem também os cursos sequenciais. O MEC não os considera como graduação e eles são voltados a quem já é formado em alguma área e procuram uma certa especialização. Há dois tipos: o de formação específica, que, se for reconhecido pelo MEC, pode conceder diploma; e o de complementação de estudos, que não tem esse poder.

Fonte: UOL Vestibular.

140 programas de pós-graduação no Brasil recebem nota máxima da Capes

Na última terça-feira (10), a Capes divulgou os resultados da Avaliação Trienal dos cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) do Brasil. A avaliação atribui notas de 1 a 7 aos programas de cada universidade. Os programas que recebem nota 1 ou 2 são reprovados e deixam de ser reconhecidos pelo MEC. Recebendo nota 3, o programa é considerado “regular”. Com uma nota 4, o programa é reconhecido como “bom”. Um 5 classifica o programa como “muito bom”. Já os programas avaliados com notas 6 e 7 oferecem cursos de “excelência internacional”. 3.337 programas de pós-graduação de todo o Brasil e de todas as áreas do conhecimento foram avaliados. Em linhas gerais, o resultado foi o seguinte:

1.054 obtiveram nota 3

1.219 obtiveram nota 4

598 obtiveram nota 5

229 obtiveram nota 6

140 obtiveram nota 7

A Capes reprovou 60 programas de pós-graduação no país, que tiraram as notas 1 e 2, mas seus nomes ainda não foram divulgados. Os coordenadores dos cursos terão um mês para recorrerem da nota. O processo levou em consideração informações prestadas pelos cursos durante os anos de 2010, 2011 e 2012. Na primeira etapa as atividades de avaliação contaram com a participação, durante 4 semanas, de 1.200 consultores vindos de todas as regiões do país, distribuídos nas comissões das 48 áreas de avaliação.

Veja a lista completa dos programas com avaliação acima de 3

Do documento disponível no link acima, reproduzo aqui a parte que diz respeito à área que me interessa: filosofia. Destaque para os programas de pós-graduação em filosofia da USP e UFMG, que receberam nota máxima (7). A “pós” em filosofia da minha querida UFPB recebeu nota 3, mostrando que ainda tem muito o que melhorar.

ÁREAINSTITUIÇÃOCURSONOTA
FILOSOFIAFAJE M3
ÉTICA E EPISTEMOLOGIAFUFPI M3
FILOSOFIAFUFSE M3
FILOSOFIAPUC/PR MD4
FILOSOFIAPUC/RS MD6
FILOSOFIAPUC/SP MD5
FILOSOFIAPUC-RIO MD5
FILOSOFIAUCS M3
FILOSOFIAUECE M3
FILOSOFIAUEL M3
FILOSOFIAUEM M3
FILOSOFIAUERJ MD5
FILOSOFIAUFBA MD5
FILOSOFIAUFC MD4
FILOSOFIAUFES M3
FILOSOFIAUFF M3
FILOSOFIAUFG MD4
FILOSOFIAUFMG MD7
ESTÉTICA E FIL. DA ARTEUFOP M4
FILOSOFIAUFPA M3
FILOSOFIAUFPE/UFPB/UFRN D3
FILOSOFIAUFPB M3
FILOSOFIAUFPEL M4
FILOSOFIAUFPR MD5
FILOSOFIAUFRGS MD6
FILOSOFIAUFRJ MD4
LÓGICA E METAFÍSICAUFRJ MD4
FILOSOFIAUFRN M4
FILOSOFIAUFSC MD6
FILOSOFIAUFSCAR MD5
FILOSOFIAUFSM MD4
FILOSOFIAUFU M3
FILOSOFIAUNB M4
FILOSOFIAUNESP/MAR M4
FILOSOFIAUNICAMP MD6
FILOSOFIAUNIFESP MD4
FILOSOFIAUNIOESTE M4
FILOSOFIAUNISINOS MD5
FILOSOFIAUSP MD7

Com informações de: UOL Educação.

USP lança curso online e gratuito que ensina a escrever artigos científicos

brasao-uspPara melhorar a qualidade da elaboração de artigos científicos por pesquisadores brasileiros, a  Universidade de São Paulo (USP), líder em produção científica no país, lançou o curso de Escrita Científica. Formatado para a web e oferecido gratuitamente, o curso tem como objetivo auxiliar pesquisadores e estudantes de pós-graduação na elaboração de artigos de maior relevância acadêmica. “A redação de trabalhos científicos, elaborados para serem publicados em revistas, é um dos gargalos para o crescimento da produção científica das universidades, incluindo a própria USP”, afirmou o pró-reitor de pesquisa da instituição, Marco Antonio Zago, em reunião recente com dirigentes da universidade. “A técnica não é dominada amplamente, em especial pelos pesquisadores principiantes e alunos de pós-graduação”, disse.

Veja também:
USP inova ao lançar cursos universitários online, abertos e gratuitos
Cursos online e gratuitos oferecidos pelas melhores universidades do mundo

É por isso que o curso online de escrita científica foi pensado de forma didática e intuitiva. Desenvolvido pelo professor Valtencir Zucolotto, do Instituto de Física de São Carlos-SP, o curso é dividido em 8 módulos e conta com videoaulas que explicam, passo a passo, cada uma das partes que compõem o paper (títulos, introdução, resultados, conclusões). Há um tópico especial sobre a elaboração de textos científicos em inglês. Além das videoaulas, que podem ser consultadas a qualquer momento, os interessados ainda contam com apostilas explicativas e materiais didáticos extras, que trazem indicações de obras de referência recomendadas por Zucolotto. Todos os materiais podem ser baixados livremente. O curso, no entanto, não disponibiliza a emissão de certificados.

O baixo índice de repercussão internacional de parte da pesquisa produzida nacionalmente é um dos principais problemas que impactam diretamente na inovação do Brasil. No ranking do Índice Global de Inovação 2013produzido pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual, por exemplo, o país ficou em 64ª lugar entre 142 países. A análise de problemas na qualidade dos artigos científicos foi um dos destaques nas reuniões do último encontro realizado pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Recife-PE, no final de julho. Na ocasião, representantes de agências de fomento apontaram a necessidade de estimular a qualidade dos trabalhos publicados por cientistas brasileiros, especialmente quando os artigos são feitos em inglês.

Com informações de: USP.

ACESSE O CURSO AQUI

ATUALIZAÇÃO EM 28/04/2016: A notícia veiculada neste post é de 2013. Por quase três anos, o curso foi oferecido gratuitamente na internet e não emitia certificado, tal como explico acima. Este ano, porém, ele foi reformulado: passou cobrar uma taxa de inscrição e a emitir certificado. Isso levou alguns leitores tardios e desatentos a acusarem este post de “propaganda enganosa”. Não se trata de propaganda enganosa: as informações apenas ficaram desatualizadas com o tempo. O material do curso continua disponível para consulta ou download nos links abaixo:

ARTIGO CIENTÍFICO

1. Modelo padrão de artigo feito pela Intercom
2. Normas da ABNT sobre artigos acadêmicos
3. Professora da USP detalha os tipos de  artigos
4. Professora da USP ensina a produzir artigos

TCC DE GRADUAÇÃO

1. Modelo pré-formatado de TCC da USP São Carlos
2. Prezi: uma alternativa aos slides do Powerpoint

MONOGRAFIA DE GRADUAÇÃO

1. Recomendações para a monografia da USP
2. Instruções detalhadas para elaboração de uma monografia
3. Ferramenta para ajudar na formatação do trabalho

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

1. Diretrizes sobre dissertações da USP
2. Manual sobre dissertações da UFRJ
3. 
Softwares para facilitar a elaboração da dissertação

TESE DE DOUTORADO

1. Manual de elaboração de teses da UFRJ
2. Organize sua rotina de estudos com o software Colabolo

3. Modelo de esqueleto de uma tese de doutorado da COPPE

USP lança cursos online e gratuitos

brasao-uspA Universidade de São Paulo (USP), em parceria com o portal Veduca, lançou, nesta quarta-feira (12), os primeiros cursos de nível superior abertos, gratuitos e para grandes públicos (Mooc, na sigla em inglês) do Brasil. As aulas de Física Mecânica e Probabilidade Estatística serão ministradas por docentes da universidade e veiculadas pela plataforma virtual. Os Moocs ganharam fama desde que instituições como Harvard, Stanford e MIT começaram a oferecer a modalidade em portais com centenas de milhares de acesso por mês como EDX e Coursera. Os brasileiros estão entre os principais estrangeiros frequentadores destas plataformas. A Unicamp já lançou este ano um portal com conteúdo didático e aulas avulsas em vídeos, imagens ou animações; mas os Moocs são cursos completos com atenção dos professores para os alunos que acompanham o programa, que dará certificado de conclusão após prova presencial na USP.

Recursos Educacionais Abertos podem globalizar a educação

Fonte: Último Segundo.

Capes lança curso de inglês online gratuito

O conhecimento da língua inglesa é requisito importante para a realização de estudos científicos (consulta em artigos, livros e periódicos estrangeiros) além de ser comumente exigido em cursos de pós-graduação no exterior. Várias instituições estrangeiras que oferecem oportunidades de aperfeiçoamento científico exigem que o pesquisador comprove seus conhecimentos da língua inglesa por meio de exames como o TOEFL, FCE ou CAE. O curso My English Online, oferecido pela CAPES/MEC, contempla desde o nível mais básico até os níveis mais avançados, preparando o estudante para os exames de língua inglesa solicitados para admissão em instituições acadêmicas no exterior. O curso possui 05 níveis de ensino, é gratuito para o aluno e exige responsabilidade com o cumprimento de etapas de estudo.

.

O CURSO

O curso My English Online é baseado na ferramenta para ensino de idiomas MyELT, que oferece aos usuários um pacote completo de atividades interativas para o estudo da língua inglesa em qualquer horário e em qualquer lugar. O usuário terá acesso a livros interativos, leituras graduadas (National Geographic), exercícios de gramática (com correção imediata), dicionários, atividades para prática oral e testes de acompanhamento. Além disso, os materiais podem ser impressos para prática posterior, sem necessidade de consulta ao computador. O curso é dividido em 5 níveis de aprendizado. Cada nível contém 3 partes abrangendo atividades com e-Book, vídeo, gramática e leituras. Ao final de cada parte, o usuário deverá fazer um Teste de Progresso como preparação para a Prova Final do nível.

.

COMO ESTUDAR

No seu primeiro acesso ao curso My English Online, o usuário deverá realizar o Placement Test (Teste de Nivelamento), composto por questões que buscam identificar o seu conhecimento da língua inglesa. O resultado classifica o usuário no nível mais adequado para a realização dos estudos. O curso é dividido em 5 níveis de aprendizado. Cada nível possui duração máxima de 6 meses (dois meses para cada parte). Ao acessar um nível, serão oferecidas as seguintes opções:

  • About Level • Contém dicas de estudo e a estrutura do nível.
  • eBook • Conteúdo principal do curso que ajudará o usuário a desenvolver suas habilidades de leitura, escrita, compreensão oral e gramática em língua inglesa.
  • Grammar (Gramática) • Conteúdo para o desenvolvimento das habilidades gramaticais.
  • Reading (Leitura) • Conteúdo para o desenvolvimento das habilidades de leitura.
  • Video (Vídeo) • Conteúdo em vídeo para o desenvolvimento da habilidade de compreensão oral.

.

REQUISITOS

Para se candidatar ao curso My English Online é necessário que o usuário atenda aos seguintes requisitos: (1) Estar matriculado em instituição de ensino superior pública, em curso de graduação; ou ter obtido pelo menos 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para estudantes de graduação das instituições de ensino superior privadas; ou ser aluno de pós-graduação em Programa de Pós-Graduação recomendado pela CAPES. (2) A cada 2 meses deverá, obrigatoriamente, realizar um Teste de Progresso de modo que, em cada nível, o estudante deverá realizar dois Testes de Progresso antes da Prova Final. O estudante receberá um aviso por e-mail caso não realize o teste ou a prova dentro do prazo. (3) O aluno será habilitado no próximo nível de estudo se obtiver um rendimento igual ou superior a 60% na Prova Final. Para cada nível concluído, o usuário receberá um certificado de conclusão por e-mail.

.

IMPORTANTE: O usuário terá sua senha cancelada e não poderá voltar a cursar o My English Online caso não realize os Testes de Progresso ou a Prova Final dentro do prazo estabelecido, ou não consiga, nestas últimas, nota igual ou superior a 6,0 (seis).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pág. 1 de 212
%d blogueiros gostam disto: