Judeus são o grupo religioso com mais anos de educação formal, revela pesquisa

De acordo com uma pesquisa do Pew Research Center, nos EUA, os judeus são o grupo religioso mais instruído do mundo, com uma média de mais de 13 anos de escolaridade formal. O estudo revela que os judeus têm, em média, quatro anos a mais de escolaridade do que o grupo mais próximo, os cristãos. Os muçulmanos e os hindus são os grupos religiosos com o menor nível educacional, cada um com cerca de 5 anos e meio de escolaridade formal. Veja no infográfico abaixo:

pesquisa-educacao-religiao

Os judeus lideram em várias outras categorias. Homens e mulheres judeus têm em média o mesmo número de anos de escolaridade formal; já as mulheres hindus, no outro extremo, estudam 2,7 anos a menos que os homens. 61% dos judeus têm formação de nível superior; a média global é de 14%. E 99% dos judeus tiveram alguma educação formal. Entre os judeus de 25 a 34 anos, as mulheres possuem mais instrução do que os homens. Nesta faixa etária, elas têm mais de 14 anos de escolaridade formal em média, e quase 70% frequentam ou frequentaram o ensino superior. Já os homens têm uma média de 13,4 anos de escolaridade formal, e 57% têm ensino superior.

Saiba mais aqui

Fonte: Alef News.

Diferenças entre o cristianismo bíblico e o catolicismo romano – Augustus Nicodemus

Neste dia da Reforma Protestante, compartilho esta aula do Rev. Augustus Nicodemus sobre a diferença entre o cristianismo bíblico e o catolicismo romano.

Diferenças entre as igrejas evangélicas autênticas e a Igreja Universal

Em comemoração ao dia da Reforma Protestante, compartilho esta aula do Rev. Augustus Nicodemus, na qual ele fala sobre a diferença entre as igrejas evangélicas autênticas e a Igreja Universal, bem como outras igrejas ligadas ao movimento neopentecostal.

Debate sobre teologia natural

Os teólogos William Craig, Guilherme de Carvalho, Davi Charles Gomes e Jonas Madureira debatem sobre a possibilidade e os limites de uma teologia natural. O debate foi realizado durante o 8º Congresso Brasileiro de Teologia Vida Nova, que aconteceu nos dias de 13 a 16 de março de 2012, em Águas de Lindoia, São Paulo, cujo tema geral foi “Apologética contemporânea para um mundo de incertezas”.

Suposto local do Jardim do Éden é declarado patrimônio cultural da UNESCO

A região dos Pântanos da Mesopotâmia é cercada por grandes rios e fica localizada no atual território do Iraque, no sudeste do país. Essa região é considerada por muitos estudiosos como o local descrito na narrativa do Gênesis, onde supostamente a humanidade teria surgido. Recentemente, o provável local do Jardim do Éden tornou-se um patrimônio mundial da UNESCO, segundo anúncio feito pelas autoridades iraquianas.

O ecossistema úmido é alimentado pelos rios Tigre e Eufrates, tornando o local pleno de água e vida natural. No entanto, a região nem sempre foi mantida assim. Na década de 1990, os rios que abasteciam a área foram drenados pelo então ditador Saddam Hussein. Sua ação foi feita para punir as tribos árabes nativas da região pantanosa e outros opositores que se refugiavam no local — que haviam se revoltado contra o seu governo após a primeira Guerra do Golfo. Hussein construiu uma rede de canais para desviar a água dos rios Eufrates e Tigre, direcionando-a para o mar.

O quadro foi revertido apenas depois da queda do ex-ditador pelos Estados Unidos, em 2003. Desde então, moradores e agências ambientais trabalharam para destruir as barragens e restaurar a região. Os pântanos, que tinham mais de 9 mil quilômetros quadrados de extensão na década de 1970, foram reduzidos para apenas 760 quilômetros quadrados em 2002, antes do início de sua recuperação. O governo do Iraque anunciou que pretende recuperar um total de 6 mil quilômetros quadrados.

Na fronteira com o Irã, os pântanos têm sido utilizados nos últimos anos para o contrabando de drogas, armas e cativeiros de reféns. As tribos árabes nativas viveram nos Pântanos da Mesopotâmia por milênios, mas ultimamente têm vivido à margem da sociedade iraquiana. No domingo, o primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, elogiou a decisão da UNESCO que, segundo ele, “coincide com as vitórias militares consecutivas na guerra contra o Estado Islâmico”. O grupo terrorista, que já perdeu metade do território que foi dominado por eles em 2014, ainda controla alguns dos mais ricos sítios arqueológicos do mundo no norte do Iraque.

Fonte: Guia-me.

mapa-mesopotamia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pág. 2 de 6123...Pág. 6 de 6
%d blogueiros gostam disto: