A História da Filosofia em um gráfico

O britânico Simon Raper criou este mapa incrivelmente informativo. Ele usou um algoritmo para processar dados extraídos da Wikipédia e montar o gráfico, onde cada filósofo é representado por um nó na rede e as linhas entre eles representa as respectivas influências. O algoritmo que produziu o gráfico foi programado para colocar os nós mais conectados no centro do diagrama, assim vemos os nomes dos filósofos mais influentes em tamanho maior e agrupados no centro. As cores representam as diferentes escolas e tradições filosóficas.

Clique na imagem para ver no tamanho original:

Simon Raper publicou sua fantástica contribuição no ano passado em seu blog. Na ocasião, ele disse ainda que, no futuro, pretende “adicionar também a direção de influência com uma ponta de seta nas linhas”. Como se não bastasse o magnífico trabalho, Raper, por seu espírito perfeccionista, parece não estar completamente satisfeito com sua criação, sobre a qual ainda aponta algumas falhas. “A deficiência, porém, é que essa avaliação só leva em conta as linhas diretas de influência. Influência indireta através de outra pessoa na rede não entrará nele. Isso provavelmente explica por que Descartes está menor do que você pensa. Também seria melhor se os nódulos fossem dimensionados apenas pelo número de conexões externas, embora eu acho que, em geral, as diferenças seriam pequenas”, diz Raper.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 opiniões sobre “A História da Filosofia em um gráfico

  • 29 de outubro de 2013 em 14:33
    Permalink

    É interessante, porém desnecessário. As influências nem sempre são tão objetivas. Ainda tem umas coisas meio estranhas. Platão aparece muito grande e Sócrates extremamente pequeno e no outro extremo do mapa, quando, na verdade, é difícil de dissociar um do outro, de saber onde começa um e termina o outro. Platão escreveu o pensamento de Sócrates e esse último era um filósofo apenas da oralidade. Então, o correto seria estarem lado a lado no mesmo tamanho. Além disso, eu não entendi o lance das cores. Se é pra mostrar influências soa um pouco estranho ter Hobbes e Rousseau juntos, sendo que eram divergentes. Já Freud e Lacan que são praticamente da mesma época e completamente convergentes e influentes um do outro aparecem em cores diferentes e sem nenhuma ligação.

    Resposta
    • 30 de outubro de 2013 em 9:55
      Permalink

      Não sei exatamente quais foram os critérios e certamente o gráfico deve conter muitos erros. Mas, em todo caso, a ideia de montar um gráfico desse tipo é muito original, criativa e interessante. Tomara que no futuro hajam melhorias.

      Resposta
  • 30 de outubro de 2013 em 15:25
    Permalink

    Certo Charles! Gostei muito do seu site. Parabéns!!!

    Resposta

Deixe uma resposta:

%d blogueiros gostam disto: